Acesse o Painel do Professor e tenha acesso aos serviços exclusivos para professores e coordenadores.
Professor: 
Senha: 
 
Clique aqui para visitar o site da INVESTCREDE

Clique para visitar o site da Tron InformáticaClique para visitar o site deste parceiro
Clique e visite o site do Conselho Regional de Administração Goiás Tocantins
 
 
 
São Luís de Montes Belos - GO, 16 de Setembro de 2014
Artigos & Opiniões

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, UM CAMINHO DE SUCESSO
Prof. Itamar Pereira de Oliveira
Publicado em 15/11/2008 - 16:22:24

 

Itamar Pereira de Oliveira & Luana Carvalho Oliveira

 

Professor da FMB e discente do Curso de Engenharia de Produção da UCG

 

Alguém já escreveu que uma das mais nobres missões do engenheiro de produção é promover a expansão do consumo, por meio da redução do custo dos serviços e mercadorias e da maior eficiência dos sistemas produtivos. Para isso, ele precisa conhecer bem o mercado, o estágio de desenvolvimento do país e sua distribuição de renda. Esse profissional é considerado uma peça importante para que os empresários possam aumentar a produção, fabricar bens capazes de competir no mercado internacional e oferecer à população produtos com preços mais baixos, O seu preparo pode assegurar a qualidade de vida da população, protegendo e recuperando o meio ambiente e desenvolvendo produtos que atendem às necessidades da sociedade. O engenheiro de produção está sempre buscando inovação e formas inéditas de fabricar novos produtos. A engenharia de produção é um ramo que gerencia os recursos humanos, financeiros e materiais para aumentar a produtividade de uma empresa. Por isso, esse profissional é peça fundamental em indústrias e empresas de quase todos os setores de qualquer instituição (OLIVEIRA NETO & TAVARES, 2006). 

Com os conhecimentos de administração, economia e engenharia para racionalizar o trabalho, aperfeiçoar técnicas de produção e ordenar as atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma organização, o engenheiro de produção pode exercer várias funções. O sucesso ou fracasso de um empreendimento é função de definir a melhor forma de integrar mão-de-obra, equipamentos e matéria-prima e de avançar na qualidade e aumentar a produtividade. Esse profissional constitui a ligação entre o setor técnico e o administrativo. Por isso mesmo seu campo de trabalho ultrapassa os limites da indústria. O especialista em economia empresarial, bacharelado em engenharia de produção tem sido contratado por bancos para montar carteiras de investimentos. Tem-se solicitado esse profissional para ser contratado por empresas prestadoras de serviços para gerenciar a seleção de pessoal, definir funções e planejar escalas de trabalho (SOUZA, 2006). 

De acordo a Associação Brasileira de Engenharia de Produção (ABEPRO) compete à Engenharia de Produção o projeto, a implantação, a operação, a melhoria e a manutenção de sistemas produtivos integrados de bens e serviços, envolvendo homens, materiais, tecnologias, informação e energia. Compete ainda especificar, prever e avaliar resultados obtidos destes sistemas para a sociedade e meio ambiente, recorrendo a conhecimentos especializados da matemática, física, ciências humanas e sociais, conjuntamente com os princípios e métodos de análise e projeto de engenharia (IIIE, 2008)

Ainda segundo a ABEPRO, o Engenheiro de Produção deve ter uma sólida formação científica e profissional geral que o capacite a identificar, formular e solucionar problemas ligados às atividades de projeto, operação e gerenciamento do trabalho e sistemas de produção de bens e/ou serviços, considerando seus aspectos humanos, econômicos, sociais e ambientais, com visão ética e humana, em atendimento às demandas da sociedade.Especificamente, ele deve possuir habilidades e competências que capacitem o futuro profissional para dimensionar e integrar recursos humanos e financeiros a fim de aumentar eficiência de uma empresa e produzir a menor custo, com visão de possibilidade de melhorias contínuas, apresentar conhecimento matemático e estatístico para modelar sistemas de produção e auxiliar na tomada de decisões, ter capacidade de projetar, programar e aperfeiçoar sistemas, produtos e processos, dentro dos limites e as características das comunidades envolvidas, prever e analisar demandas, selecionar tecnologias e conhecimento, projetando produtos ou melhorando suas características originais e praticidades, formalizar conceitos e técnicas de qualidade em todo o sistema produtivo, de acordo com aspectos tecnológicos e organizacionais, objetivando aprimorar produtos e processos, dentro de normas e procedimentos de controle e auditoria, procurar sempre prever pontos a evoluir os cenários produtivos, percebendo a interação entre as organizações e os seus impactos sobre a competitividade, acompanhar os avanços tecnológicos, organizando-os e colocando-os a serviço da demanda das empresas e da sociedade, conhecer a inter-relação dos sistemas de produção com o meio ambiente, tanto no que se refere à utilização de recursos escassos quanto à disposição final de resíduos e rejeitos, atentando para a exigência de sustentabilidade, usar indicadores de desempenho, sistemas de custeio, bem como avaliar a viabilidade econômica e financeira de projetos, gerenciar e aperfeiçoar o fluxo de informação nas empresas utilizando tecnologia adequada.

Espera-se, de acordo com a sua formação que todo engenheiro tenha, também compromisso com a ética profissional, iniciativa empreendedora, disposição para auto-aprendizado, excelente comunicação oral e escrita, leitura, interpretação e expressão por meios gráficos, visão crítica de ordens de grandeza, domínio de técnicas computacionais, domínio de língua estrangeira pelo menos inglês, conhecimento da legislação pertinente, capacidade de identificar, modelar e resolver problemas, compreensão dos problemas administrativos, sócio-econômicos e do meio ambiente, responsabilidade social e ambiental e pensar globalmente e agir localmente (LEPROD, 2008).

A visão holística desse engenheiro, devido à sua formação multidisciplinar e visão sistêmica, o mercado de trabalho para este profissional é amplo, sendo requisitado para atuar em finanças, produção, recursos humanos, marketing ou desenvolvimento do produto. Essas organizações podem ser especializadas em manufatura ou serviços, relacionados com muitos setores da mecânica, petróleo, química, civil, eletro-eletrônico, alimentos, siderúrgico e agroindústria, dentre outros. Com isso, quer – se dizer que profissional de engenharia de produção pode ser absorvido tanto no âmbito industrial quanto no de serviços para bancos, repartições públicas, escolas, hotéis e comércio em geral.

A atividade do profissional de engenharia de produção, ainda por ser uma carreira nova, deve sofrer uma avalanche de críticas e mensagens de desânimos. Essa reação é muito simples de ser interpretada. De primeira mão, para os apressados, é fácil dizer que esta profissão é mais uma das muitas engenharias modernas concorrendo entre si. No caso específico de produção essas manifestações sem base e princípios não apresentam nenhum grau de veracidade. O que está acontecendo bem antes da carreira se firmar é o medo dos profissionais dos vários departamentos, por falta de conhecimento ou aptidão, reconhecem - no um concorrente dentro das empresas. Esse profissional pela educação recebida e assiduidade dentro do ambiente profissional, está mais em contato com os problemas internos que os funcionários locais. Desse modo, esse técnico representa uma ameaça para os demais que não apresentam aptidão para as suas funções. Por isso, saibam esses novos operários qualificados colocar para funcionar a inteligência, a paciência, a honestidade, o conhecimento e a humildade que o sucesso lhe é garantido. Nunca uma nação como a terra dos tupiniquins precisou tanto de funcionários laboriosos que nascem gostando do progresso e do desenvolvimento das suas empresas de trabalho, talvez mais que os seus proprietários.

 

REFERÊNCIA BIBLOGRÁFICA

 

ABEPRO - Associação Brasileira de Engenharia de Produção. Normas e leis. Rio de Janeiro. Disponível em http://www.abepro.org.br/ interna.asp? buscasite=almirante &buscasites=s. Acesso em 13/11/2008.

 

IIIE - International Institute of Industrial Engineering.Contatos. Disponível em www.producao.ufrj.br/secretaria. Acesso em 15/10/2008.

 

LEPROD – Laboratório de Engenharia de produção. Atributos do engenheiro de produção. Disponível http://www.uenf.br/Uenf/ Downloads/ LEPROD _1869 _1148071157.pdf. Acesso em 13/10/2008.

 

OLIVEIRA NETTO, A. A. ; TAVARES, W. R. Introdução à engenharia de produção. Visual books. 2006. 164 p.

 

SOUZA, S.D.C. Engenharia de Produção: rumo ao sistema de “produção limpa”.  Revista do CREA 56, Jan – Fev., p. 30-33. 2006.

 


 
Acesse o Painel do Aluno e tenha acesso às suas Notas e Faltas assim como a outros serviços oferecidos.
Aluno: 
Senha: 
Clique para informações sobre nosso certificado de segurança